Global Forest Bond: integrando tecnologia e meio ambiente

0.jpg

Estamos há pouco mais de um mês da final nacional da Competição de Ideias de Negócios Verdes. Enquanto esperamos os nomes das grandes vencedoras, damos continuidade a nossa série de entrevistas com as sete finalistas. Hoje, conheceremos a Global Forest Bond (GBF), uma empresa brasileira que tem como objetivo integrar, por meio de produtos financeiros, a economia global e a preservação dos ecossistemas.

A GFB quer garantir que os serviços ambientais sejam devidamente incorporados à economia, por meio de títulos financeiros que remuneram as áreas de florestas. Dessa forma, essas áreas passam a gerar recursos financeiros para seus proprietários, sejam eles públicos ou privados, acabando com a pressão pelo desmatamento e remunerando de forma justa todos os atores das cadeias de produção. Saiba mais sobre o projeto na entrevista com o Artur Villela Ferreira, Senior Partner da GBF.

Como surgiu a ideia para a criação do seu negócio?

Os biomas nativos são grandes geradores de recursos naturais que são utilizados por todos. Apesar disso, eles não são devidamente integrados à economia mundial: não existe pagamento por esses recursos, o que gera grande pressão para que essas áreas sejam desmatadas e florestas deem lugar a terras cultivadas.

A ideia da Global Forest Bond nasceu depois de mais de dez anos de pesquisa sobre como alinhar os incentivos econômicos para garantir a preservação dos ecossistemas, em especial das florestas tropicais brasileiras.

Uma vez que tínhamos uma metodologia com a qual estávamos confortáveis e que permite aos proprietários de terras com florestas preservadas serem remunerados pelo volume dos serviços ecossistêmicos prestados em suas áreas, criamos a Global Forest Bond para levar esse produto inovador ao mercado.

Como a sua solução contribui beneficamente para as mudanças climáticas que precisamos?

Na Global Forest Bond, entendemos que o problema do sobreconsumo de recursos naturais, como água, carbono, biodiversidade, entre outros, é uma questão econômica: esses recursos são originados nos serviços ambientais prestados pelos biomas nativos, e hoje não são remunerados. Qualquer insumo que não tenha custo para o usuário será sobre-consumido.

Esse problema é especialmente grave no Brasil, que tem a maior parte de suas emissões de gases de efeito estufa provenientes do desmatamento de florestas tropicais. A GFB tem como objetivo garantir que os serviços ambientais sejam devidamente incorporados à economia, por meio de títulos financeiros que remuneram as áreas de florestas. Dessa forma, as áreas de floresta passam a gerar recursos financeiros para seus proprietários, sejam eles públicos ou privados, acabando com a pressão pelo desmatamento. 

Artur Villela Ferreira e Eduardo Marson, da GBF, durante participação no Bootcamp.

Artur Villela Ferreira e Eduardo Marson, da GBF, durante participação no Bootcamp.

Como participar da competição global de ideias de negócios verdes está ajudando a sua empresa?

Em primeiro lugar, participar da competição nos obrigou a pensar profundamente sobre nossa empresa, onde queremos chegar e quais os passos necessários para atingir os objetivos. A organização está amadurecendo muito nesses meses desde nossa inscrição na competição.

Um segundo benefício é o reconhecimento por organizações como a Climate Launchpad, Climate Ventures e Climate-KIC. Ao falar com possíveis investidores, parceiros e clientes, ter passado por um crivo dessas entidades e estar entre as sete startups brasileiras escolhidas para a final nacional demonstra a seriedade e comprometimento da Global Forest Bond com o desenvolvimento de soluções verdadeiramente sustentáveis.

Por fim, vale destacar que o contato direto com a organização da competição e com outros empreendedores diretamente ligados ao ecossistema de soluções de impacto socioambiental e climático nos permitiu uma validação crítica de nosso modelo de negócios e o fortalecimento de nossa rede.

Qual é o seu maior sonho para a GFB?

Nosso maior sonho para a Global Forest Bond é ter nossa metodologia reconhecida como uma ferramenta importante na transição para uma economia mundial sustentável, baseada na remuneração justa de todos os serviços ecossistêmicos.

Por que você acredita que a sua solução deve ser a vencedora da competição?

Nós enxergamos que a Global Forest Bond ataca de forma enfática um dos maiores problemas ambientais da atualidade, que é o desalinhamento entre o sistema produtivo e os ecossistemas naturais. A internalização dos custos ambientais no sistema de produção e consumo é a única forma de atingir uma economia verdadeiramente sustentável.

Acreditamos também que nossa solução, uma metodologia que agrega as melhores práticas do mercado de títulos financeiros à preservação de florestas, é verdadeiramente escalável e pode contribuir com a luta da emergência climática em nível mundial.

Além do impacto ambiental, a Global Forest Bond pode incentivar a geração de renda em regiões de menor PIB e IDH, contribuindo também com o combate às desigualdades.


Arianny DiasComentário