Lab Amazônia inicia fase de prototipagem de soluções

Com o objetivo de fortalecer os negócios de impacto na Amazônia criando soluções inovadoras para destravar barreiras logísticas e comerciais, o Lab Amazônia - Desafio Logística e Comercialização dos Produtos da Sociobiodiversidade - segue com muito trabalho. 

lab2-01.png


No primeiro encontro, realizado em junho deste ano, lideranças, organizações e stakeholders estratégicos se reuniram para pensar sobre o grande desafio da logística e comercialização dos produtos da sociobiodiversidade da Amazônia. Desse encontro, foram criados oito grupos de trabalho com objetivo de desenvolver protótipos que colaborassem na criação de soluções para destravar as barreiras comerciais e logísticas que os empreendedores da região encontram. 

No encontro presencial da segunda fase, prevista para novembro, o propósito é que essas ideias sejam aprimoradas e amadurecidas durante a interação entre os grupos. A intenção é que ao fim do encontro os protótipos estejam prontos para captar recursos para sua realização. 

Vale lembrar que todas as soluções devem ter como premissa a redução de custos e emissões de CO2, mais eficiência/otimização de recursos e aumento da repartição de benefícios às comunidades produtoras da região amazônica.

Como nasceu o Lab Amazônia?

Tudo começou em 2018, quando a Climate Ventures realizou, com o apoio do Instituto Clima e Sociedade (ICS), Instituto Arapyaú e Fundo Vale, o Lab de Inovação em Clima com um olhar transversal aos desafios da economia regenerativa e de baixo carbono no Brasil. Neste processo, mergulhamos na pauta do empreendedorismo socioambiental na região amazônica, mapeando os  grandes desafios para quem trabalha com cadeias de valor da sociobiodiversidade na Amazônia. Entre um dos 10 protótipos criados, tivemos o Central da Floresta focado em encontrar soluções logísticas e de distribuição dos produtos.

No mesmo ano, a Plataforma Parceiros pela Amazônia (PPA) e o Idesam realizaram uma Chamada de Negócios, que selecionou 15 startups para um programa pioneiro de aceleração de negócios sustentáveis da Amazônia.

As experiências demonstraram que fatores como a falta de infraestrutura, o alto custo e a pulverização da logística amazônica, aliadas à baixa escala de produção e altos custos cobrados pela prática nociva de atravessadores, aniquilam a margem do produtor, que prefere buscar outras formas de renda, muitas vezes nocivas ao meio ambiente, e desestimulam o consumo nos grandes centros. 

Nesse contexto, nasceu o Lab Amazônia para engajar diferentes parceiros, prototipar e implementar soluções concretas que aumentem as chances de sucesso de empreendedores de negócios de impacto socioambiental e comunidades que fazem uso sustentável de produtos da sociobiodiversidade da floresta amazônica. 

Como funcionam as fases do Lab Amazônia? 

O projeto é dividido em três fases sendo:

Fase 1: Lançamento do Desafio - visualização e priorização conjunta dos gargalos e soluções relacionados à logística e comercialização dos produtos da sociobiodiversidade da Amazônia; Fomento à atuação em rede do ecossistema na busca de soluções; Engajamento dos participantes na co-criação de protótipos de soluções conjuntas e criação de 8 protótipos de soluções. 

Fase 2: Prototipagem de Soluções - engajamento e fortalecimento dos grupos de trabalho e amadurecimento da solução proposta. Cadastro das soluções e seleção dos protótipos dentro de critérios de engajamento, viabilidade e impacto.

Fase 3: Implementação de soluções - mobilização de recursos e redes de apoio para implementação das soluções priorizadas; Apoio à implementação das soluções priorizadas.


Arianny DiasComentário