Entrevista com Marian Goodman

A Diretora Global do Presencing Institute fala sobre os Labs de Inovação Social em resposta aos desafios do nosso tempo.

Marian durante o 3º Encontro do Lab de Clima 2018, realizado em São Francisco Xavier, SP.

Marian durante o 3º Encontro do Lab de Clima 2018, realizado em São Francisco Xavier, SP.

 

Labs de Inovação Social estão colaborando com a ativação de ecossistemas, gerando ação coletiva para questões que transcendem as barreiras geográficas e geopolíticas, como as mudanças climáticas e aos desequilíbrios socioambientais.

Marian Goodman, Diretora Global do Presencing Institute, é Design Partner, Mentora e também Facilitadora na Climate Ventures. Ela vem acompanhando o desenvolvimento do projeto, quando tudo isso ainda era uma ideia para os fundadores da AOKA Labs — consultoria de inovação que nasceu de uma operadora de Turismo de Experiências de Base Comunitária.

A primeira aventura de Ricardo Gravina e Daniel Contrucci, fundadores da Aoka e da Climate Ventures, com a Marian, foi realizando as jornadas de aprendizagem no Brasil durante o primeiro Global Wellbeing Lab, um laboratório de inovação social sobre o Bem Estar, realizado conjuntamente pelo GIZ Global Leadership Academy (GLAC – Alemanha), o Presencing Institute (Cambridge, MA) e o Gross National Happiness Centre (Butão), para desenvolver novas formas de gerar e mensurar o bem estar, em múltiplos níveis sociais.

Marian viajou diretamente da África do Sul para o Brasil e participou presencialmente durante todo o 3º Encontro do Lab de Inovação da Climate Ventures 2018, compartilhando sua experiência sobre Teoria U, criação de Campos Sociais e Ecossistemas. Ela estimulou os participantes através de dinâmicas e reflexões, para se conectarem com sua fonte de inspiração e criar novas possibilidades de atuação. Desta forma, puderam escolher, com mais consciência, o caminho de prototipagem de negócios, conectando suas mentes (razão), corações (sentimento e sensibilidade) e mãos (ação), para agir positivamente frente aos desafios do clima.

Confira abaixo entrevista que realizamos com a Marian, sobre Labs de Inovação Social para ativação de ecossistemas regenerativos.


Marian, por que estamos individualmente criando resultados coletivos que ninguém quer? Como os Labs podem ajudar a mudar isso?

O tempo atual nos mostra a complexidade das questões que estamos enfrentando e que não se trata apenas dos problemas locais ou de um país, mas de toda a humanidade. No setênio passado, enfrentamos diferentes desafios e com diferentes complexidades, na esfera do governo, da sociedade civil ou mesmo nos negócios. Tentamos resolver todas essas questões, só que de forma isolada. Não deu muito certo. Agora, precisamos reconhecer que, se não agirmos coletivamente, colaborando uns com os outros e valorizando a diversidade, não conseguiremos endereçar as soluções para os principais desafios da atualidade como as mudanças climáticas e os desequilíbrios socioambientais. Questões que transcendem as barreiras entre as nações e que são inviáveis de serem solucionadas individualmente.

Sendo assim, o que fazemos com os LABs é identificar e ativar não somente alguns grupos ou setores, mas todo um ecossistema de pessoas que estão preocupadas com estes desafios e que reconhecem que não podem fazer nada sozinhas para resolvê-los. Com os Labs vemos as questões a partir de uma perspectiva sistêmica, olhamos para o todo, para então mudar e moldar o modo como operamos a nossa consciência, isto é, como percebemos estas questões e como estamos respondendo a elas. E, ao engajar todas as pessoas afetadas por alguma questão para co-criarem soluções, podemos entender como estabelecer relações que geram bem estar e a regeneração de todo um ecossistema.

Além disso, os LABs de inovação social é uma ferramenta maravilhosa para iniciar um processo de conexão entre os atores que, dificilmente, fariam isso por iniciativa própria. Os Labs criam este espaço de encontro que quebram as barreiras egocêntricas e dos interesses individuais das organizações, dos investidores ou dos setores. Quando reunimos indivíduos de diferentes partes de uma sociedade, não criamos apenas novas relações, desenvolvemos maior consciência sobre os desafios que temos, pois olhamos para a mesma coisa, a partir de diferentes perspectivas.


Qual o ponto central para a criação de um ecossistema no qual diferentes atores, com diferentes opiniões, possam encontrar seus pontos de convergência e colaboração?

Há um desencontro entre a realidade atual e a nossa capacidade econômica de lidar com os problemas da atualidade. Se lidamos apenas com o visível, sem olhar para o invisível, não conseguiremos fazer as transformações que queremos. Mas quando o sistema se vê, ele consegue se transformar.

Por isso que nos Labs de inovação nosso foco está no campo social, na qualidade do solo que estamos cuidando. O mundo é criado uma conversa por vez. Quando falamos sobre o campo social, estamos falando sobre cuidar da qualidade das nossas conversas e relações. Precisamos de tempo para cultivar a qualidade deste solo, não é simplesmente colocar as melhor ideias para rodar. Se você não tiver um bom solo, não vai colher bons frutos. A ferramenta que usamos para cultivar é a nossa atenção, por isso Presencing Institute. Enquanto a forma como prestamos atenção uns nos outros, define a qualidade das relações e das nossas criações, a qualidade das nossas relações e ações representam a consciência, isto é, o nosso sistema operacional. Se nos moldamos para colaborar, fica mais fácil de encontrar as soluções que precisamos.


Em Quanto tempo um Lab de Inovação passa a dar resultado?

Um Lab de Inovação podem durar entre 6 meses, um ano ou mais. No entanto, é interessante observar que um Lab não acaba quando acaba. É como se a cada LAB que fazemos, criamos e cultivamos mais uma camada do solo do nosso campo de inovação. Por exemplo, uma importante iniciativa que surgiu a partir do Global Wellbeing Lab, foi lançada cerca de um ano e meio depois da realização do LAB. Por isso que é muito importante acompanhar o desenvolvimento das conexões que surgem em um LAB e reconhecer que alguns protótipos serão sucesso, mas que os outros que não foram para frente, cumpriram um papel de cultivar o solo do ecossistema, nutrindo o campo com essas conexões.


 

Tem interesse em participar ou promover uma iniciativa como esta? Entre em contato com a gente!